Xixis com Farturinha

Podemos definir o caráter de uma pessoa apenas olhando como ela trata os animais.

A Amora nasceu para ser mãe e foi comprada a um criador, com esse objectivo – procriar.

Até aos 3 meses andou de mão em mão e era o motivo de orgulho do dono. Não por amor.. mas pela perspectiva de lucro, mas as coisas mudaram. Abandonada amarrada a uma corrente, num fundo de um quintal, essa foi a noção de amor. O conceito subvertido choca-nos. A esposa do senhor não aguentou o egoísmo do marido e ameaçou, ou a cadela ou eu. E assim a Amora veio parar às nossas mãos. Desnutrida, cheia de sarna (o pior caso de sarna que a veterinária já viu)..mas sem conhecer a maldade. A primeira coisa que fez foi abanar a cauda ao ver-nos, como quem diz “Tratam de mim?”. Hoje é dia da mãe e também para ela é o caso: Nunca mais voltará a passar pela desumanidade que passou, não voltar a saber o que é a fome, não voltar a saber o que é uma corrente, ou a perspectiva de ser mãe por dinheiro. Está internada neste momento e aguardamos as análises, e faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que estes casos acabem.

Se quiser saber mais da Amora envie um email para geral@movidoa4patas.com ou contacte o Movimento Movido a 4 Patas.

7

3 Maio, 2015


Artigo Anterior

Artigo Seguinte

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *